Bebê e avião: como fazer funcionar

Bebê e avião: como fazer funcionar

Viajar de avião muitas vezes é mais do que um luxo, é uma necessidade. E com bebês pequeno, a viagem merece uma atenção especial. Aqui vão algumas dicas úteis sobre esse assunto:

Não se recomenda viajar de avião nas primeiras semanas de vida do bebê. Pois, é um momento de enormes mudanças para ele, da vida intra-uterina para extra-uterina. E ele precisa de rotina e tranquilidade para iniciar bem a vida.

Sempre que possível, o ideal é agendar as viagens após o 3° mês de vida, fase em que o bebê já se encontra mais maduro e adaptado à vida aqui fora. Até porque, nesta idade, o bebê já tomou a 1ª dose de diversas vacinas, o que o deixa melhor protegido, “imunologicamente” falando.

Alguns cuidados essenciais durante o vôo:

– Na hora da reserva da passagem, avise que você viajará com um bebê pequeno. E, solicite lugares diferenciados, que tenham maior espaço interno entre um banco e outro, como a 1ª fila do avião, por exemplo. Você não precisa comprar classe executiva ou primeira classe, se não desejar. Contudo, recomendo que utilize estes assentos prioridade, mesmo que tenha que pagar um pouco a mais por ele. O custo-benefício vale a pena.

– O bebê até 2 anos de idade deve ir no colo dos pais. O que pode ser bastante cansativo para todos, bebês e cuidadores. Portanto, pergunte se a aeronave que vão viajar possui berço acoplável. Alguns aviões, abençoados, possuem berço de pano dobrável que se encaixa na parede da frente da cadeira prioridade.

– O pouso e decolagem é o pior momento para todos, especialmente para os bebês. Pois, nestas horas há um grande aumento da pressão no ouvido, que ocasiona muita dor nos pequenos. Para aliviar o desconforto faça seu bebê engolir. Como? Ofereça o seio materno. Caso não amamente, ofereça água na mamadeira. O importante é o bebê deglutir!

– Em vôos mais longos, não se esqueça de oferecer líquidos ao bebê a cada 45 minutos. Pois, o ar do avião é muito seco, o que não faz bem a ninguém, especialmente aos pequeninos.

– Trocar o bebê no avião é um desafio para qualquer pessoa. Mesmo naquelas naves que possuem trocador (digo, pequenas mesas sobre o vaso), o banheiro é tão apertado que tudo fica bastante complicado. Imagine a dificuldade nas naves que não possuem o tal trocador… Por isto, já deixe tudo o que for precisar à mão, em uma mini bolsa: fralda extra, lenço umedecido, fralda para secar o bumbum, pomada e 2 trocas de roupa (em caso que “vaze” xixi ou cocô para todo lado!)

– Mesmo que na sua cidade faça 42°C, ao arrumar a mala de viagem, leve roupas de frio para colocar no bebê durante os vôos. Pois, o ar condicionado do avião deixa o ambiente interno sempre bastante frio, ao redor de 20°C. Quanto mais longa a viagem, pior. Casaquinho, meia e uma manta quentinha são essenciais.

– Importante dica final: Leve sua paciência na viagem! Saiba que para o bebê a viagem de avião é um desconforto. Portanto, não espere que ele se “porte bem”. O pobre coitado se portará o melhor que puder. E, sim, muito provavelmente, chorará algumas vezes. Porque é bebê!

obs: Não tenha receio das caras feias e das reclamações. Todos nós já fomos bebês um dia, e já choramos muito. Uma boa saída é levar seu bom humor na bagagem de mão!

E boa Viagem!

 

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).